Quadrinhos cearenses e outras influências!

terça-feira, 16 de abril de 2019

Charges!!

10 dias de charges para o Jornal O POVO
(Clayton - o chargista oficial - tirou merecidas folgas).

Charge do dia 09/04
 Charge do dia 10/04
  Charge do dia 11/04
  Charge do dia 12/04
  Charge do dia 13/04
  Charge do dia 14/04
  Charge do dia 15/04











Charge do dia 16/04

sábado, 6 de abril de 2019

Saiuuuuuuuuuuuuuuu

Materia publicada hoje (06/04) no Jornal O POVO (Fortaleza/CE)
sobre o livro NA QUEBRADA da Editora DRACO.
(pra ler em tamanho grande, clique com o botão direito do mouse,
escolha a opção "abrir link em uma nova janela" - segunda opção - e pronto!)

O livro tem 8 histórias de 20 páginas cada com o tema HIP HOP.
Além de vários artistas nacionais, participo dessa maravilhosa coletânea
à convite de Raphael Fernandez.
A materia foi escrita pela queridíssima repórter Teresa Monteiro.
Adicionar legenda

quinta-feira, 21 de março de 2019

Rapariga Yanke!

NOVOS ensaios com a mais nova queridinha do Brasil !
#guabiras #justiçabrasileira
Pra ver os primeiro clique nos links:
https://goo.gl/5y7Wuv (Brumadinho)
https://goo.gl/CqMP9h (Extrato do Queiroz)
Adicionar legenda

segunda-feira, 18 de março de 2019

Para o infinito e além! Resenha da Capitã Marvel


Só digo uma coisa pra quem andou espalhando 
que Capitã Marvel não presta: Ou você é burro ou 
é uma tremenda alma sebosa recalcada do caralho.
O filme é Bom! Tão bom que supera os 3 últimos
filmes da MCU, com exceção de Pantera Negra 
e Guerra Infinita. Um filme divertido, preciso, bem 
estudado e muito, muito feminino. Não. Não preciso
dizer "moderno" só pra explicar o quanto, na altura do campeonato,qualquer filme de super-herói que se
preze, precisa urgentemente ter um ser humano macho como protagonista. Foi-se esse tempo, amigo. Primeiro com Mulher-Maravilha. Agora com Capitã Marvel.
Capitã Marvel, aliás, tem um morango a mais em sua cobertura. Enquanto Diana (da DC Comics), não é humana, Carol Danvers (da Marvel Comics) é além
da conta! Ela não foi esculpida no barro, não veio
de uma ilha mística, nem foi treinada por seres 
mitológicos... ela simplesmente ralou de verdade em um mundo que sempre (eu disse sempre) colocou a mulher abaixo de qualquer expectativa de sucesso. O mundo chamado Terra. Nossa realidade. E o que resta pra Carol? Ralar na infância, ralar na adolescência e ralar no decorrer do filme... E é justamente isso que tá fazendo burros e recalcados surtarem. Capitã Marvel é o exemplo da mulher que supera seus demônios (da Terra e do Espaço) pra ressurgir das cinzas! Sim, em vários momentos ela lembra a Fênix (a dos X-Mens), a própria Diana (Mulher-Maravilha) e um certo alienígena que mora em Metrópolis. Mas ela também lembra (mais ainda) muitas garotas que conheço que, também, ralam e ralam todo santo dia nesse mesmo mundo cruel, machista e covarde. 

Criada em 1968 por Roy Thomas e Gene Colan, Carol Danvers sempre 
foi uma personagem coadjuvante em um ambiente de supersoldados e 
monstros. Até agora. Dos anos 1990 (época em que o filme se passa) até os primeiros segundos antes da prorrogação contra Thanos (primeiro pós-crédito), o filme é uma sequência de acontecimentos, lutas, diálogos e surpresas que, quando termina, parece que só se passaram alguns minutos. É aquele filme que não te enfada e não te enrola.
Uma aula de superação misturada com as nostalgias de uma década que teve bandas de rock espetaculares (Nirvana, Hole, Garbage, Bush, No Doubt, Smashing Pumpkins...)
ao mesmo tempo em que a Internet ainda se arrastava pro sucesso (Alta Vista - o avô do Google)

Pra se ter uma ideia, uma simples piada sobre carregar um arquivo no
computador faz com que Capitã Marvel seja melhor do que Homem-Formiga e Vespa, 
Dr. Estranho e Homem-Aranha - de volta ao lar. Mas o filme também têm várias
outras provas quanto a isso:

— É o filme que mostra as inúmeras fases de uma mesma personagem 
com a mesma sutileza com que ela escolhe o uniforme atual.
— É o filme que mostra o Agente Coulson (ele voltou!) ainda novato. Portanto, 
é cheio de laços (muitos laços) com a série "Agentes da SHIELD'.
— É o filme que mostra Nick Fury ainda com os dois olhos. Portanto, é 
nele que descobrimos o que causou a tal cegueira.
— É o filme que mostra esse mesmo Nick Fury fazendo tiradas e 
piadinhas, ao contrário daquele Nick Fury brabo e sisudo da atualidade. 
O motivo é óbvio. Perder um olho não é pra qualquer um.
— É o filme que mostra por onde andou o Tesseract (joia do espaço) desde
a sua descoberta em Capitão America 1 (década de 1940).
— É o filme que mostra pela primeira vez a tensa relação entre as raças
alienígenas Kree X Skrulls, e mesmo que essa última tenha ficado exageradamente 
diferente das HQ's, quem duvida que daqui pra diante, quando a saga "Invasão Secreta"
ganhar mais força (creio eu), não acontecerá algo que deixará os Skrull 100% hostis? 

No final das contas, que venha o inevitável do inevitável.
A Capitã Marvel será, sim, uma das protagonistas que enfrentará o Thanos na
primeira fila. E tudo porque ela aprendeu a erguer a cabeça, a não dá o braço a torcer e,
se for preciso, a atropelar o que tiver na sua frente. 
Até lá, se você continuar fazendo parte do time dos burros ou dos recalcados, 
só te digo outra coisa: Você ainda não viu foi nada!
.........................................................................

PS* 01 A atriz Brie Larson nem de longe é uma mulher sem feições!!!
Ela tem feições até demais (isso é comprovado desde KONG - a Ilha da caveira - 2017)
e cada uma se encaixa perfeitamente nas cenas. A aparição dela no novo trailer
dos Vingadores comprova mais ainda.

PS* 02 Quanto ao gato do filme, rá, rá... Desta vez (somente desta vez) me recuso
a dar SPOILERS, mas saiba que ele é, de longe, uma das coisas mais fenomenais
já feitas pela Marvel em 10 anos de cinema.
Lembra daquele monstro que Han Solo tinha capturado em sua nave no episódio
 "O despertar da Força"? Pois é... 
É quase a mesma coisa só que diferente. Rsrsrsr...