--- Prêmio Angelo Agostini ---

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Resenha Jurassic World - Reino Ameaçado


Até então, eu não estava muito afim de ver esse filme porque Jurassic World (2015) me lembrou muito o consagrado clássico de 1993. Se você colocar um ao lado do outro é Déjà vus demais e roteiro de menos - mas calma. Eu até que curti o Jurassic World pra caralho pois, além de resgatar uma trilha sonora espetacular, ele novamente ativou o meu fascínio pelos eternos dinos. Mas Jurassic World termina que nem Jurassic Park (com os dinos soltos pela ilha) e isso já bastava pra eu achar que Reino Ameaçado (2018) seria descaradamente igual à O Mundo Perdido (1997). 

Pois bem! Se era ousadia que faltava, Reino
Ameaçado só é incrivelmente bom por conta do seu desfecho - e que desfecho! Inédito e inusitado. 
Já o miolo do filme... os dinossauros são novamente resgatados da ilha, massss... por conta do Indominus Rex (que foi a grande novidade de Jurassic World), o roteiro acaba trazendo novas surpresas e mudanças brutais no gênero. Prepare-se. O Reino Ameaçado é de longe o filme mais sombrio de toda a franquia. O que lasca são as falhas... Saem o afeto e o amor pelos dinos, entram o capitalismo selvagem e a ganância. 
Sai Indominus Rex, entra um tal de Indoraptor. Vacilo grande. Como que um bicho que foi criado a partir de um dente extraído do Indominus Rex (O filme começa com um mini submarino fazendo essa tarefa no fundo do lago) não dura sequer 10 minutos de filme?
Ora! Se Indominus Rex era maquiavélico, estrategista e sabia até se camuflar, esse tal de Indoraptor se resume apenas em tombos, vacilos e escorregões... Que paia!
O que era pra ser mais foda, mais cruel e mais inteligente, acaba sendo uma decepção monstra. Pra se ter uma ideia, o bicho está trancado em uma jaula apenas por uma tranca comum. Mas o mesmo não percebe, ou não se toca, ou não raciocina. E prefere ficar rosnando e ameaçando as pessoas como um cãozinho qualquer. 

Melhor cena? Aquela em que ele posa diante da lua em cima de um telhado. Mas só porque ficou bonita na propaganda do MC Donald's e funciona muito bem como poster (ou descanso de tela). Indoraptor é uma falha tão grossa que faz aquela chave que sempre espera por alguém na ignição ou a bala que não ricocheteia dentro d'água passarem despercebidos no decorrer do filme. 

Têm mais. Como é que pode o grande idealizador do resgate (um almofadinha
herdeiro da fortuna de John Hammond) montar uma mega operação envolvendo navios, helicópteros, caminhões e soldados, muitos soldados, pra resgatar apenas... alguns dinos??? Tipo, o resto que se lasque. Imagine uma cena em que dinossauros são torrados vivos enquanto humanos deixam a ilha. Enquanto isso, gente do mundo
todo se reúne em sua casa esperando ansioso pra que um leilão comece.
É justamente nesse leilão que o "terrível" Indoraptor é apresentado. Detalhe: o bicho é apenas um protótipo.

ERRO GROTESCO EM RELAÇÃO AO DINO:
1) Em certo momento o carinha do exercito entra na jaula do dinossauro logo após neutralizar o mesmo ABRINDO UMA TRANCA SIMPLES.
2) Esse mesmo dinossauro depois que foge entra no quarto de 
uma criança ABRINDO UMA TRANCA SIMPLES.
PQP! Como assim? Porque esse dinossauro burro do caralho não abriu 
a tranca da jaula da mesma forma que abriu a porra da janela????

E a claire (Bryce Dallas)? Começa o filme como ativista dos dinos e depois, em meio a uma decisão brutal, prefere deixá-los morrer do que ganhar a liberdade pelo mundo. É... mas eles não morrem!!! Como todo e bom Jurassic Park existe uma criança (a mesma do quarto!) que raciocina melhor do que muitos adultos. Detalhe: A criança pertence a mesma família do almofadinha capitalista.

É aí que o final salva o filme.
Um final que pela primeira vez traz novos rumos pros dinossauros e pro público. 
Eu, por exemplo, já estou gerando várias conspirações e especulações desde
quando sai do cinema.

Sim. Ainda continuo apaixonado por dinossauros e fã do Jurassic Park.
E se a  próxima continuação (a última da nova trilogia) for preparada com
mais carinho, com mais atenção e com menos doses de tecnologia industrial.
Eu agradeço bastante.


PS* Tem pós-crédito SIM. Quem me avisou isso foi meu amigo Pedro Turano
(o maior especialista em dinossauros de Uchoa (SP).

A cena, por sinal, é apenas outro detalhe que fecha o grande arco do final. E só.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

A saga do gato CHUVISCO!!

Esse é o CHUVISCO.
Um gatinho que me acompanhou da parada de ônibus pra casa, plenas 10 e meia da noite. Detalhe: chovia fino e não existia uma só alma na rua. Quanto mais um gato siamês branco de dois meses.
Abri a porta, o Chuvisco entrou na sala, cheirou o ar e deitou
esparramado no chão como se falasse: "É aqui mesmo que eu fico!"
Bom... ele acabou mesmo ficando (isso já faz uns 4 meses) e
ao longo do tempo produzi algumas tirinhas com ele.

Segue todas as tirinhas do CHUVISCO que já foram publicadas no Jornal O POVO ATÉ AGORA
VIDA LONGA AO CHUVISCO!!