--- Prêmio Angelo Agostini ---

sábado, 17 de janeiro de 2015

Catálogo Guabiras dos seres humanos menos ordinários desse mundo - Parte 001

O homem que reinventou a adrenalina.

Todo moleque que se mete a andar de skate tem por obrigação conhecer Jay Adams.
O documentário Dogtown and Z-Boys e o filme Reis de Dogtown mostram exatamente isso.
Rançoso, sacana e talentoso, dono de um caráter exclusivo, Jay Adams simplesmente fez parte
dos Z-Boys. Grupo de skatistas que revolucionou as manobras do skate a ponto de colocar o objeto na lista dos esportes radicais. Z-Boys era um grupo, mas apenas três artistas se destacavam além.
Eram eles Stacy Peralta, Tony Alva e, claro, Jay Adams.
Era 1973 quando de repente as ondas da Califórnia não se formavam mais...
Deprimidos, mas cheios de ânimos, os Z-Boys decidiram continuar a diversão pulando as cercas das casas pra andar de skate nas piscinas secas. Estava feita a história, as manobras, as lendas..
Jay Adams em dois momentos:
 1) um moleque desafiando a gravidade 2) uma lenda soberana
Ex-surfistas solucionando seus problemas sem a noção do que viria acontecer adiante. Mas aconteceu, sim!
A famosa logomarca dos Z-Boys
Com o apoio da loja Zephyr, esses moleques ganharam fama, viraram celebridades, obtiveram poder de profissionais consagrados... Mas Jay Adams, que era justo o mais consagrado de todos, sentia apenas o contrário. Rebelde, filho de pais separados, garoto sem regra, para ele o skate era sinônimo de liberdade e nada mais. Se é que os atletas dos dias de hoje ao menos sabem o que significa isso. Com o tempo, Jay foi capa de revistas, se envolveu com drogas, foi preso, se superou e deu inúmeras palestras para novatos sobre os riscos e as proezas do skate, maior esporte de sua vida.

Jay Adams morreu em agosto de 2014 aos 53 anos, mas a última cena do campeonato que participou, mostrada no filme Reis de Dogtown, é de longe uma das maiores provas de suas virtudes: ser escroto e ser genial ao mesmo tempo.

Pra se ter uma ideia, o maior surfista da história, Kelly Slater, campeão mundial 11 vezes, só foi o que foi porque ele devolveu para as ondas do mar as manobras que um dia alguém pediu emprestado.
Pois é. Adivinha quem era esse alguém...

PARA ASSISTIR:

Os Reis de Dogtown (filme) clique AQUI

Z-Boys and Dogtown (documentário) clique AQUI

Jay Amads andando de skate aos 50 anos clique AQUI

A frase imortal de Jay Adams: “Você não para de andar de skate quando fica velho, você fica velho quando para de andar de skate”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário