--- Prêmio Angelo Agostini ---

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Pipoca murcha! Parte 2

Alguns filmes que assisti nos últimos dias...
No Limite do Amanhã
Pra começar, minha cota de filmes com o Tom Cruise é de apenas um por ano. Como Já tinha visto "Oblivion", que é uma bosta, e algumas partes do "Missão Impossível" (terrivelmente cortadas) na Tela Quente, acabei dando prioridade a coisas como "Meu Malvado favorito 2" ao invés desse "viva, morra e repita". Ledo engano. Pra começar de novo, os alienígenas daqui são totalmente fodas e diferentes daqueles Cloverfields da vida. Em sua primeira missão, o Major William Cage (Tom Cruise) tem "a sorte" de morrer e ser infectado por uma espécime rara. Resultado: acaba adquirindo poderes de viver o mesmo dia sucessivas vezes. Mas para isso ele tem que morrer outra vez; e outra vez; e outra vez; e outra vez... Acredite. Quanto mais o filme se desenrola nessa paranoia, mais inacreditável são as sequências. Certo! E o que tem haver essa mulher do cartaz? Bom, ela também já teve "a sorte" de morrer um dia (mas perdeu a força). Agora resta aos dois se entenderem e resolver a pendenga toda. Ou não!
>> Trailer (Como os aliens não aparecem perfeitamente, assista!)

As Tartarugas Ninjas
Sabe quando toda a tecnologia é a favor de uma coisa e mesmo assim ela sai uma bomba? Com vocês, as Tartarugas Ninjas. OK. 
Só não é um desastre total porque o filme soube explorar a forma como a juventude de hoje se comunica, tipo "bate-fala-empurra-xinga-bate-fala de novo". Isso dá aquele ar de adolescente moderno entre as criaturas, mas as mesmas ficaram tão parrudas nesse remake do remake que mais parecem dinossauros e não tartarugas. Mega Fox, coitada, ressuscitada debaixo da sucata dos Transformers, bem que tentou melhorar o visual do filme, mas é impossível quando se tem um fiasco de um roteiro manjado. Melhor cena? Aquela em que eles descem a mil por hora na neve. Mas apenas porque parece coisa de vídeo-game, e não um filme farofa. A do elevador também é épica. Mas daí cai uma antena gigante de cima de um prédio que faz você achar, por muitos e muitos segundos, que aquilo foi puramente copiado da luta entre Homem Aranha e o Lagarto. E isso é lastimável.
>> Trailer (Você vai achar engraçado e interessante, mas na prática o enfado é bem maior...)
Malévola
Ao contrário dos malditos remakes, essas versões de contos de fadas distorcidos até que têm se saído bem no cinema. Primeiro "Jack e o Gigante", depois "Branca de Neve e o Caçador", antes era "A Garota da Capa Vermelha"... E agora é "Malévola". O que esperar de bom? Angelina Jolie no papel de bruxa! Impecável, arrogante, extrema. E se um dia a tal bruxa entrou no castelo pra jogar uma praga na Bela Adormecida, ela não fez isso do nada. Muita coisa se passou antes desse episódio e tudo está no filme. Também estão lá vários detalhes diretamente do desenho oficial da Disney, como a névoa verde que envolve Malévola (100% fiel ao clássico). Para muitos intelectuais da vida real, Malévola pode ser um filme fresco sobre fadas e baboseiras mil, mas como atualmente também está cheio de filmes que "mostram tudo, mas não dizem nada", até que Malévola quebra um galho e tanto naqueles domingos pós-ressaca com música sertaneja no SBT e jogo do Corinthians na Globo... 
>> Trailer (Mostra que a bruxa é realmente o outro lado da moeda,
o que causa interesse em assistir)

Maze Runner - Correr ou Morrer
Primeiro um garoto acorda no centro de um labirinto sem lembrar do próprio nome nem de onde veio. Ao se agrupar com os demais (alguns já estão lá há 3 anos) ele questiona se deve haver algum meio de fugir daquele pesadelo!Sim, mas esse mesmo labirinto, além de ter hora pra abrir e fechar, é cheio de enormes aranhas robóticas gigantes e só quem pode explorá-lo são os denominados "corredores". Garotos escolhidos a dedo pra tentar mapear uma saída. Pronto! A partir daí começa a tensão entre o grupo que se divide entre "querer ir embora" e "se contentar como antes". E os "que querem embora" até que conseguem, mas só pra descobrir que tudo não passava de um maldito teste de fim do mundo. Ou seja, Maze Runner é mais um filme-calafrio de ficção científica cujo problema principal só será resolvido (simplesmente) no capítulo seguinte.
>> Trailer (Você assiste e pensa: "Deus me livre acordar num lugar desse!")
Ajuste de Contas
Dois veteranos e um filmaço. De um lado Stallone, do outro Robert De Niro. Ambos são ex-boxeadores rivais que se aposentaram antes mesmo de uma terceira luta acontecer (cada um ganhou um combate anteriormente). Então 30 anos se passou e sempre quando os dois se esbarram "espontaneamente", tome roupa suja pra lavar! Tudo no melhor estilo "velhos engraçados que não tem o que fazer". Até que um agenciador com pinta de Ed Murphy acaba marcando a tão esperada revanche e cada um vai treinar do seu modo. E é aí que a trama se desenrola pra gente entender o porquê da tal luta nunca ter acontecido. Comédia, drama, putaria, questão maternal, mais putaria e mais drama. Ajuste de Contas é a prova de que apenas uma dupla de atores consagrados (ao contrário daquela ruma de brucutu em Mercenários) basta, se o caso for criar um filme simples e cheio de sobressaltos.E só.
>> Trailer (Basta assistir pra ter mais vontade ainda de ver o filme)


Nenhum comentário:

Postar um comentário